Como estudar com sono: O Que Não te Contaram

Como estudar com sono: O Que Não te Contaram

Você está com muito sono…. Muito sono…. Mas não pode perder mais um dia de estudo. É assim que você se sente? Então a gente pode te ajudar. Afinal, como estudar com sono?

Um ponto importante é que haverá dias em que nosso corpo simplesmente não responde, mas o que eu proponho é que em vez de ficar em posição fetal, lamentando-se pelo dia perdido, a gente use isso a nosso favor!

“Ah! Não… Agora você surtou de vez, Diego. Usar o sono a meu favor?”

Sim. Tudo é perspectiva e eu acho que você vai concordar comigo, se me der a chance de explicar. Não é o ideal, mas se você não se preparar para o dia da prova, há uma chance de você não acordar bem, concorda?

E se logo no dia da prova você não acordar bem? Como lidar com o cansaço e a lentidão de raciocínio? Desistir não é (ou não deveria ser) uma opção. Então a única maneira é estar preparada(o).

Essas dicas são especialmente importantes para quem está estudando sozinho, no início da sua jornada de concurseira(o).

Você talvez já saiba que eu sou grande entusiasta de não deixar nenhum fator que envolva nosso estudo e nossos concursos para a sorte. Por isso que eu sempre proponho sugestões de aprimorar cada aspecto da nossa preparação e nesse caso não é diferente.

Como estudar com sono se já acordei sem disposição?

Isso é realmente um desafio e pode botar um dia inteiro de estudos a perder. Mas a gente precisa separar algumas coisas. Primeiro se estamos falando daquele sono sem nenhum motivo aparente ou é fadiga mesmo.

Há dias em que nossa sessão de estudo só sai forçando muito. Isso é perfeitamente normal. Mas esse sono tem uma origem. Temos o sono que vem simplesmente de acordar – esse é superável facilmente – e aquele outro vindo do cansaço.

Ao acordar precisamos de alguns minutos para nosso cérebro entrar em ritmo normal. Isso varia de pessoa para pessoa (mas pode ser treinado) e envolve também nosso nível de cansaço naquele dia em especial.

Na medida em que você regula seu corpo a acordar, de preferência sempre na mesma hora, você vai precisando de cada vez menos tempo pra começar seu dia, sendo sempre recomendável, no mínimo, 7 horas de sono por noite.

É assim que você evitar acordar com sono no futuro, mas se você já acordou ou não teve como evitar, eu proponho que a gente use isso a nosso favor, especialmente aqueles que estão começando do zero.

Domando o sono e usando como vantagem

É domingo, chegou o dia da sua prova e você não sabe seu nome. O raciocínio está tão lento que você mal consegue pôr um pé na frente do outro. Essa é a hora que nossa estratégia entra em ação.

Não sei se você sabe, mas lutadores de MMA e boxeadores “treinam” quase ser nocauteados e, assim, conseguem manter a calma se isso acontecer durante o combate. Olha que loucura!

E não poderia ser mais simples. Para simular a sensação de ter levado um golpe certeiro, os lutadores rodopiam no lugar até ficar tontos. Depois eles tentam fazer as coisas normalmente, dando socos e chutes ou se movimentando.

Ao fazer isso eles se acostumam com a sensação, de maneira que não entram em desespero e sabem como se comportar quando/se o golpe vier. A sua vantagem (depois de ler essas linhas) vai ser já ter lidado com isso, ou seja, vai ser um(a) lutador(a) pronto pro combate!

No seu caso, resolva questões. Veja como seu raciocínio é desafiado ao resolver questões de concurso enquanto cansada(o). Acostume-se a não entrar em desespero enquanto seu corpo ainda não percebeu a hora de acordar.

Veja e entenda seu tempo de resposta até se sentir normal e use mais essa ferramenta a seu favor. Essa prática vai te deixar consciente das suas limitações momentâneas e que elas vão passar.

Enquanto isso, vá aplicando tudo que a gente vai falar aqui. Essas informações vão ajudar a acelerar o despertar e colocar você no caminho para aproveitar seu desempenho máximo.

Então todas as vezes que acordar com sono, eu proponho que ponha os passos a seguir em prática. Se você quer saber como estudar com sono é só continuar acompanhando.

Encare o mais fácil primeiro

Há quem prefira começar pelas coisas mais difíceis e ficar livre daquilo que mais toma esforço primeiro. Isso pode ser uma boa estratégia quando vocês está 100%, mas quando você está cambaleante não vai ser uma opção.

Nosso cérebro sente uma dificuldade ainda maior do que o normal em realizar tarefas com alta carga cognitiva, que use muito poder de processamento. Por isso que a gente não consegue fazer nada complexo (ou pelo menos tem muita dificuldade).

Faça tudo que tiver de mais fácil primeiro. Estude a matéria mais fácil daquele dia primeiro, resolva as questões mais fáceis primeiro e assim por diante.

A sensação de dever cumprido que virá de você ter feito algo, mesmo com tanto cansaço, vai ser um grande motivador para te levar ao próximo passo e ao próximo depois desse.

Se não conseguir ler, tente resolver questões (caso já esteja nesse ponto da matéria), se não puder fazer nenhuma das duas coisas, organize todo o seu material de estudo para aquele dia.

Se isso também não acontecer, tente fazer algumas tarefas leves da casa como lavar louças. Isso pode ajudar também, porque vai liberar o tempo que você usaria pra fazer essas coisas.

Essa, inclusive, é uma excelente dica para a otimização do seu tempo. Temos que usá-lo com sabedoria, direcionando corretamente e adiantar o que for possível sempre ajuda.

É claro que se você seguir todos os nossos conselhos não vai ser uma possibilidade, mas isso vale também para o dia da prova. Na hipótese de acordar com muito cansaço, faça tudo que for mais fácil primeiro, inclusive as questões.

Beba água

Fadiga e cansaço são, muitas vezes, sinais de desidratação, sabia? E essa mesma desidratação não só suga a sua energia, mas também altera funções cognitivas, fazendo tudo que precise de raciocínio mais difícil.

Quando você está lutando contra o cansaço, mesmo os amantes de café (como eu), devem considerar beber água nos primeiros momentos do dia, preferencialmente assim que acordar.

É importante também rever a sua ingestão de água durante a semana anterior. Ainda que ela não seja o maior fator, é bem possível que ela tenha contribuído para piorar a situação.

Estudos científicos importantes examinaram a desidratação, incluindo seus efeitos nas funções do cérebro. Os autores descobriram que mesmo níveis leves podem afetar a memória de curto prazo, concentração, percepção e estado de alerta.

 Ainda que a quantidade de água necessária varie de pessoa para pessoa, a estimativa é que o ideal é que todo mundo beba 2 litros de água todos os dias, especialmente nos dias quentes ou se você pratica atividades físicas.

Como estudar com sono: Sente-se em outro cômodo

como estudar com sono

Se puder, evite ficar onde sua cama está. É claro que há pessoas que não vão conseguir fazer isso, mas se não estiver diretamente na cama já ajuda e muito.

O ideal é evitar estudar (com sono ou sem) no mesmo lugar onde se dorme, porque isso pode reforçar a sensação de sonolência, especialmente se você já acordo com a cama nas costas.

Além disso, sente-se. Pode ser muito tentador estudar em um lugar totalmente confortável, mas não vai ajudar a acordar e se manter acordada(o). Tecnicamente falando, deitar é uma coisa associada pelo seu sistema nervoso central com funções como a digestão e o descanso.

Não precisa acreditar na minha palavra. Um estudo feito no ano de 2014 mostrou que, quando os participantes estavam deitados, a má qualidade de seu sono teve efeitos ainda piores.

Enquanto isso, no mesmo estudo, os participantes que estavam sentados foram minimante afetados pela noite mal dormida. É a ciência comprovando o que a gente sempre fala.

Não fique parada(o) do início ao fim

como estudar com sono

Além de ser péssimo para a coluna, o ato de se movimentar é um importante fator de recuperação da energia, além de te ajudar a se manter alerta e acordada(o). Inclusive o fato de sair da cadeira de vez em quando, talvez se alongar, pode te ajudar a lembrar mais das coisas.

Na sua sessão de estudos, um intervalo a cada 50 minutos vai fazer maravilhas, tanto pelo seu desempenho quanto pela sua própria saúde. Já falamos essa e outras dicas para quem está começando.

Quando estamos com muito sono, andar um pouco pode ajudar o nosso corpo a entender que precisamos dele em plena atividade, espantando o sono e nos deixando mais ativos.

Mais especificamente o exercício físico pode, além disso tudo que falamos, ajudar imensamente sua memória, sabia? 10 minutos de caminhada já aumenta sua memória e funções cognitivas, segundo esse estudo.

Como estudar com sono: Conclusões

Acordar com muito sono, daqueles devastadores, nem sempre é facilmente evitado. A gente tem mil dicas pra te dar sobre isso, mas se acontecer você já sabe como se portar.

Como sugerimos, teste como se sente ao resolver questões enquanto o cansaço não passa. Isso vai te dar a segurança de que, mesmo se você acordar mal no dia da prova é capaz de lidar com isso.

Depois disso é só se manter seguindo sua programação com regularidade, como nós já explicamos, que tudo vai fluir e o sucesso vem!


Fale com a gente pelas redes sociais!

Leave a Reply